Banner Clube Sportivo Capelense

Facebook:

Política de privacidade
Mapa do Site

Campeonato Alagoano de 1939

 

Clubes participantes:

- Clube de Regatas Brasil - CRB (Maceió)

- Centro Sportivo Alagoano - CSA (Maceió)

- Esporte Clube BARROSO (Maceió)

- NORDESTE Atlético Clube (Maceió)

- SANTA CRUZ Futebol Clube (Maceió)

- VASCO DA GAMA Sport Club (Maceió)

O jogo da Sofia

Museu dos Esportes

O jogo da Sofia chega a ser polêmico pelas declarações de alguns jogadores que participaram da partida disputada no dia 10 de outubro de 1939 pelo segundo turno do campeonato alagoano. A partida foi realizado na Pajuçara e o juiz foi Artur Reis, ex-jogador do Centro Sportivo Alagoano.

Segundo depoimento do lateral esquerdo do Centro Sportivo Alagoano, Rui Craveiro (falecido), o resultado da Sofia não foi normal. Tecnicamente, os dois times se equivaliam. Rui afirmou que houve um desastre. Primeiro, porque os azulinos não concordaram com a arbitragem que era um azulino que tinha brigado com a diretoria do clube do mutange. Artur Reis teria confirmado dois gols irregulares do Clube de Regatas Brasil. Depois, porque o goleiro azulino, Orlando Gomes de Barros, se descontrolou, e irritado, colocou duas bolas para dentro do seu próprio gol. Finalmente, Rui Craveiro comentou que depois do final da partida teve que agüentar a gozação dos alvirrubros na Praça do Rex que fica perto do campo da Pajuçara.

Para Cláudio Régis, ponta direita do Clube de Regatas Brasil, e autor de dois gols, o jogo não terminou. Faltava dez minutos quando os azulinos abandonaram o campo. Para uns, aborrecidos com o juiz. Para Cláudio Régis (falecido), para evitar um vexame maior. O ponteiro do CRB preferiu não falar sobre arbitragem. Dizia apenas que o CRB era melhor, e que naquele ano chegou a conquistar o tri-campeonato, provando assim, que realmente, era melhor. Os 6x0, a maior goleada da história do clássico, ainda nos dias de hoje é comentada e gozada pelos alvirrubros.

Em virtude dos desencontros nos comentários de alguns jogadores que participaram do jogo, vamos transcrever, na íntegra, os principais trechos da reportagem que saiu no Jornal de Alagoas de dia 12 de outubro de 1939, comentando o grande clássico alagoano da tarde do último domingo.

“O Centro Sportivo Alagoano, clube de grandes tradições nos esportes da cidade, sofreu na tarde de anteontem uma espetacular derrota, a maior, até hoje registrada na sua história. Esta alta e significativa contagem foi marcada pela forte e homogênea esquadra do Clube de Regatas Brasil, bi-campeão da cidade, e que já pode ser considerado como detentora pela terceira vez do título de campeão de Maceió”.

“A vitoria apesar de nítida e incontestável, surpreendeu os próprios vencedores, que não esperavam marcar tão espetacular triunfo, apesar de acreditar na vitoria alvirrubra, mesmo porque, é o CRB um team de grande classe, manejado pelos conhecimentos excepcionais de um profissional a quem a diretoria lhe conferiu plenos direitos de agir, o treinador húngaro Franz Gaspar”.

“O quadro vencedor teve todos os requisitos para um triunfo espetacular. Do excelente arqueiro Humberto ao ponteiro Ramalho, todos jogando um ótimo futebol, principalmente, o centro médio Gabino, a grande figura da cancha. Eram decorridos trinta minutos do primeiro tempo, quando Duda, oportunamente, abriu a contagem num cabeçada imprevista e bem dirigida. Dois minutos depois, ainda Duda numa cerrada carga pela ala canhota, consegue enganar o arqueiro Orlando, encobrindo-o e enviando a pelota as redes. O CSA procurou reagir, porém seus dianteiros falhavam. Com a contagem de 2x0 terminou a primeira fase.

Para o segundo tempo, o CSA procurou tirar a diferença. Fazia esforços titânicos para amenizar a contagem, o que consegue, porém o arbitro anula o gol por impedimento de Toscano. O CRB volta a carga, e como uma máquina ajustada envolvia os defensores azulinos que se defendiam leoninamente. Duda, o cérebro do ataque alvirrubro, entregou a bola a Régis que chutou forte. Orlando mergulhou, porém a bola lhe escapou das mãos e foi para as redes. A desorientação do CSA foi completa, e o CRB com o entusiasmo muito grande chegou ao marcador de seis, através de dois gols de Arlindo e um de Ramalho, todos de boa feitura. O juiz foi Artur Reis com bom desempenho”.

Este artigo retrata o que realmente foi a partida entre CRB e CSA no famoso clássico da SOFIA:

E porque Sofia ?

Segundo o próprio Cláudio Regis, o centro avante do CRB chamado Arlindo que também, assinalou dois gols, criava uma cabra no campo da Pajuçara, e por ela tinha um cuidado todo especial. Arlindo gostava de cantar uma modinha que falava nos vinte e cinco bichos do “jogo do bicho” propriamente dito. E quando chegava no número seis (cabra), ele dava uma paradinha e fazia alusão a goleada dos 6x0 e a sua cabra. Os jogadores gostaram, passaram para a torcida e a gozação foi geral. Foi um jogo histórico pela goleada que através dos anos, nunca se conseguiu outros placar igual.

DETALHES TÉCNICO DO JOGO DA SOFIA

Competição: Segundo Turno do Campeonato Alagoano de 1939
Data: 01Outubro.1939 - CRB 6 x CSA 0
Gols de Arlindo (dois), Duda (dois), Regis e Ramalho.
Juiz: Artur Reis
Local: Pajuçara

CRB (tri campeão) - Humberto. Osvaldo e Bacurau. Ariston. Gabino e Gilfredo. Cláudio Regis. Ventania. Arlindo. Duda Bocão e Ramalho

CSA - Orlando Gomes de Barros. Nhô e Badica. Fontan. Pedrinho e Rui Craveiro. Moisés. Maninho. Toscano. Sales e Murilo

--------------------------------------------------------

CRB é o Campeão Alagoano de futebol de 1939


CLUBE SPORTIVO CAPELENSE 2008 - 2013 PRODUZIDO POR CARLOS ANDRÉ